segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Pauta do dissídio coletivo aprovada em Assembleia


PAUTA DO DISSÍDIO COLETIVO 2013 APROVADA PELA ASSEMBLEIA GERAL DO SINDICATO (SSEPSFI) EM 23/02/2013
Salão Paroquial da Igreja Matriz de São Francisco de Paula centro da cidade de S. F. de Itabapoana-RJ

ANEXO ÚNICO DO OFÍCIO
Pauta do dissídio coletivo 2013, PRINCIPAL E PAUTA COMPLEMENTAR por secretaria que foi aprovada na AGO do dia 23/02/2013 que será encaminhada ao chefe do Executivo, Legislativo e Judiciário, além de  ser encaminhada a todos os secretários chefes para prévia análise antes da reunião com o prefeito e vereadores.
PAUTA PRINCIPAL
PAUTA COMPLEMENTAR
01
Reajuste geral de salário para todas as categorias 30%


Secretaria de obras: EPI’s e transportes adequado para os trabalhadores, adicional de risco de vida para os fiscais de obras e posturas que estejam em exercício
Secretaria de transportes: diárias para os motoristas que viajam para o Rio de Janeiro, outros municípios e outros Estados, adicional noturno quando for o caso
Secretaria de Fazenda:  risco de vida para os fiscais de tributos
Secretaria de saúde: Adicional noturno quando for o caso, EPI’s  para quem precisar
Secretaria de administração: não houve reivindicação complementar
Secretaria de meio ambiente: aguardando pauta complementar do representante da GCM
Secretaria de planejamento: Não houve reivindicação
Secretaria de promoção social: não houve reivindicação
Gabinete: Não houve reivindicação
Secretaria de comunicação: Não houve reivindicação
Tesouraria: Não houve reivindicação
02
Cumprimento da Lei piso mínimo nacional do magistério
SMEC
(apoio escolar):
·        EPI’s quando necessário, periculosidade e/ou insalubridade após vistoria técnica através de profissional habilitado;
·        Remanejamento dentro de critério e princípio da razoabilidade
SMEC
PROFESSORES
·        Respeitar os professores que se encontram em estágio Probatório e que  estão sob indícios de ameaças e constrangimentos por parte de seu chefes imediatamente superior, para que não seja preciso o Sindicato acionar a justiça recorrendo a lei de “ASSÉDIO MORAL” e nem expor o poder público nos meios de comunicação municipal e nacional sobre o caso;
·        Criação do cargo de professores de creche e inclusão do mesmo no plano de Cargo do magistério;
·        Reformulação, e correção do plano de cargo do magistério;
·        Material didático e pedagógico adequado para os professores,
·        Maquina de Xerox e toner necessário, além de computadores com impressoras necessários para o atendimento de cada escola. Isto é o mínimo de recursos materiais para se desenvolver uma educação de qualidade;
·        Treinamento pedagógico periódico para professores e apoio escolar;
·        Horário flexível para planejamento, inclusive fora da escola. Obs: Professores planejam usando mais tempo fora do que na escola.
·        Implantação imediata da nova comissão do Plano de Cargo. Não Há mais tempo de amadorismo. E nem Ineficiência em gestão escolar

03

Regulamentação da Lei do Vale Transporte Inclusão no (PPA e na LDO e LOA para 2014)

04
Plano de saúde ( inclusão na LDO e LOA) p/ 2014
Subsidiado com parte dos cofres públicos
05
Plano de cargo geral de todos os servidores para 2014
Destaque para o piso mínimo municipal
06
Cartão do vale alimentação
Estudo, discussão de um novo índice de reajuste

07

Caixa Própria de Previdência
( IPREVISAN)

Continuação das discussões

4 comentários:

  1. Boa tarde a todos os companheiros de luta! Luta mesmo, sendo essa o começo de muitas que virão. Venho a público fazer meu manifesto, esperando que os demais sem delongas também façam desse recurso a suas vozes. Diante de um possível comentário da Srª Secretária de Educação e Cultura desse município, Kátia Regina dos Santos Martins, ontem, em reunião na Creche de São Francisco, que há a possibilidade da prefeitura não pagar o abono concedido aos professores de creche.
    Ora, a indignação procede devido garantia da mesma na reunião sindical que aconteceu no sábado passado(23/02/13); tendo como testemunhas alguns membros do sindicato, a vereadora Yara Cínthia e nós servidores. Desejamos que a secretária se manifeste em explicação plausível ao possível comentário. Queremos deixar claro a quem quer se interesse, que o tempo de "cala-bocas", "vacas de presépio" e "olhos vendados", não fazem mais parte de nossa categoria. Somos firmes em lutar pelos nossos direitos e levaremos às últimas consequências para que sejam cumpridos! AS consequências, implicam-se em PARALIZAÇÕES e GREVES.
    Ora, é simples pensármos que, um mero abono para nos pagar em detrimento a dez horas a mais trabalhadas, e quando digo trabalhadas,as são com muito esforço e suor, já está causando um transtorno imenso em pagar, imaginem cumprir com o piso salarial do professor? Aquele do Governo Federal, utópico para São Francisco e real, realíssimo para todos nós!
    VAMOS NADAR, NADAR, mas não morreremos na praia como esperam! Quemos comunicar que seremos um calo no sapato de vós, estamos cientes de nossos poderes e do que somos capazes de provoca: reboliços, panelaços, manifestações... GREVE, ah! as GREVES, essas sim, as vemos presentes e próximas, na lei para aqueles que acham que o estágio probatório não as cabem fazer!
    Abram seus olhos para a realidade, porque os nossos dormem abertos; R$623,00 na nossa conta todo o mês, pagando passagem, condições de trabalho péssimas, exigência belga de ensino sem recursos, enfim, uma série de precariedades, realmente nos DESESTIMULAM!



    ResponderExcluir
  2. Boa tarde a todos os companheiros de luta! Luta mesmo, sendo essa o começo de muitas que virão. Venho a público fazer meu manifesto, esperando que os demais sem delongas também façam desse recurso a suas vozes. Diante de um possível comentário da Sr.ª Secretária de Educação e Cultura desse município, Kátia Regina dos Santos Martins, ontem, em reunião na Creche de São Francisco, que há a possibilidade da prefeitura não pagar o abono concedido aos professores de creche.
    Ora, a indignação procede devido garantia da mesma na reunião sindical que aconteceu no sábado passado (23/02/13); tendo como testemunhas alguns membros do sindicato, a vereadora Yara Cinthia e nós servidores. Desejamos que a secretária se manifeste em explicação plausível ao possível comentário. Queremos deixar claro a quem quer se interesse, que o tempo de "cala-bocas", "vacas de presépio" e "olhos vendados", não fazem mais parte de nossa categoria. Somos firmes em lutar pelos nossos direitos e levaremos às últimas consequências para que sejam cumpridos! AS consequências, implicam-se em PARALIZAÇÕES e GREVES.
    Ora, é simples pensarmos que, um mero abono para nos pagar em detrimento a dez horas a mais trabalhadas, e quando digo trabalhadas, as são com muito esforço e suor, já está causando um transtorno imenso em pagar, imaginem cumprir com o piso salarial do professor? Aquele do Governo Federal, utópico para São Francisco e real, realíssimo para todos nós!
    VAMOS NADAR, NADAR, mas não morreremos na praia como esperam! Queremos comunicar que seremos um calo no sapato de vós, estamos cientes de nossos poderes e do que somos capazes de provoca: reboliços, panelaços, manifestações... GREVE, ah! as GREVES, essas sim, as vemos presentes e próximas, na lei para aqueles que acham que o estágio probatório não as cabem fazer!
    Abram seus olhos para a realidade, porque os nossos dormem abertos; R$623,00 na nossa conta todo o mês, pagando passagem, condições de trabalho péssimas, exigência belga de ensino sem recursos, enfim, umas séries de precariedades realmente nos DESESTIMULAM!

    ResponderExcluir
  3. O comentário acima foi anônimo por problemas técnicos, mas que escreveu foi eu, GELCIANA P. ABRAHAM!

    ResponderExcluir
  4. Como disse desde o começo dessa discussão, nós não estamos de braços cruzados, estamos indo à luta, NÃO NOS VENCERÃO PEGO CANSAÇO. Buscamos apoio do MEC, do MP e fomos na última segunda-feira ao encontro do prefeito buscar respostas e atitudes, virará rotina para os que em silêncio nos apunhalam pelas costas. Diga-se de passagem, o prefeito com sua equipe, em maioria, nos recebeu bem e dispostos a negociações, o contrário de sua secretária de educação, que os demais esperavam apoio por se tratar de seu interesse e ócio, buscou retardar nossos direitos, coisa que já venho falando por um tempo, ou seja, que não tem visão nenhuma de mudança, parece que vive estacionada no século passado. Enfim, pelo que vimos na segunda e com o resultado, ainda que lento a nosso favor, há uma luz no fim desse poçol no qual estamos. Queremos deixar nosso recado: NÓS VIEMOS PARA GANHAR ESSA BRIGA, NÃO CREMOS EM UTOPIA, vivemos intensamente a realidade, ainda que dura e muito difícil. Somos professores; portanto, sinônimo de guerreiros e vencedores, a derrota faz parte da nossa vida só para nos reerguer da cinzas, FÊNIX sempre!!

    ResponderExcluir